A telemedicina como aliada durante a crise do coronavírus

A pandemia do novo coronavírus exigiu o distanciamento social. Por causa disso, os atendimentos presenciais de saúde foram suspensos, com exceção dos casos emergenciais. Para não prejudicar tratamentos já em andamento, a saída foi usar a Telemedicina. O uso do recurso foi autorizado pelo Conselho Federal de Medicina com a publicação no Diário Oficial, no dia 16 de abril, e vai seguir em vigor até o fim da crise da Covid-19. Médicos de diversas especialidades aderiram ao atendimento à distância, em iniciativas particulares e em grupo; e o Ministério da Saúde lançou plataforma para orientações sobre o vírus.

Com o objetivo de se tornar uma aliada para enfrentar o momento, a telemedicina ainda causa estranhamento e precisa de adaptações para ser realizada. Caso do professor e cirurgião dentista Diego Zimerman, que está buscando soluções para as consultas virtuais. “É uma experiência diferente. Eu nunca tinha feito tantas etapas de uma consulta a distância. Eu acredito que cada vez mais vamos separar algumas etapas ou as consultas por completo nesse conceito de teleodontologia”.

A telemedicina tem limitações. Os exames físicos, por exemplo, são insubstituíveis. Zimerman explica que há casos bem complexos e exigem o tratamento presencial. “Os problemas maiores são dos pacientes que estavam em reabilitação oral com provisórios na boca e ficar por muito tempo assim não é o ideal”.

E todas as áreas médicas estão tendo consequências do isolamento social. O nefrologista Miguel Moura vê dois lados no processo: “Da mesma maneira que houve limitações em exame físico para determinadas áreas, essa modalidade trouxe uma maior interação médico-paciente”, opina o médico especialista em doenças do sistema urinário, como os rins. Essa interação gerada pela telemedicina tem sido uma boa experiência para ele. “A resposta dos clientes têm sido extremamente positivas. Eles gostam de ter essa proximidade com os médicos, interagir, perguntar. Entendo que as consultas valorizam o trabalho médico, porém, nem sempre, os problemas daquele paciente são resolvidos em uma consulta, o ideal é o acompanhamento”.

A experiência de quem é atendido é muito importante para o sucesso dos tratamentos. O jornalista Jelber Cedraz faz parte dos pacientes que aprovam o novo método. “Apesar de rápida, a consulta foi muito produtiva, eu tirei todas as dúvidas que tinha. O diálogo com o médico foi tão positivo quanto seria presencialmente”.

Porém, esse recurso não atende todas as demandas. A estudante de Enfermagem Nathalia Keller defende que a telemedicina no formato atual seja passageira e sofra adaptações para ficar de vez. “O atendimento virtual pode se tornar comum durante epidemias. A primeira triagem, por exemplo, pode ser feita por esse método”.

Nathalia, que também foi atendida por essa modalidade, acredita que esse recurso pode ser usado para outros objetivos. “O acompanhamento do paciente pode ser feito pelo meio virtual, depois de um atendimento clínico. Por exemplo, eu receito um remédio por um determinado tempo e durante esse período entro em contato com o paciente para saber como ele está se sentindo, os sintomas, se tá aceitando bem a medicação”, conclui.

Governo lança plataformas para atendimento

Para o combate ao coronavírus, o Ministério da Saúde lançou o Telesus. O contato é feito por meio do WhatsApp. Para obter informações sobre os sintomas e tirar outras dúvidas, basta enviar “Oi” para o número: 61 9938-0031. Assim, não é necessário ir diretamente para o hospital.

Outra iniciativa criada durante a pandemia é o Missão Covid. É um projeto de um grupo de médicos, sem fins lucrativos, que conecta profissionais da saúde e pacientes em vídeo conferências de forma gratuita.

Por Alex Fravoline e Giovanni De Biase (Oficina Multimídia em Jornalismo)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s